Branding Design de Serviços

A relação da Performance e o Uso do Design nas Empresas

Quanto mais cedo sua empresa despertar as possibilidades que um olhar sistêmico e maduro sobre o design pode te proporcionar, mais cedo você sentirá os resultados na sua performance.

Ao longo de mais de 30 anos atuando como designer e gestor, tive oportunidade de vivenciar na prática todos os estágios de utilização do design nas empresas. Das mais maduras às mais inexperientes. E não me refiro ao porte da empresa e sim ao nível de maturidade da sua gestão, da sua governança e da sua cultura. Quero aqui compartilhar a relação entre PERFORMANCE EMPRESARIAL e o USO DO DESIGN.

Quanto mais cedo sua empresa despertar as possibilidades que um olhar sistêmico e maduro sobre o design pode te proporcionar, mais cedo você sentirá os resultados na sua performance.

Quais são os estágios de uso do design nas empresas?

SEM USO DO DESIGN

Quando as empresas não fazem uso do design em nenhuma etapa do P&D (Pesquisa e Desenvolvimento de produtos e serviços), normalmente possuem um baixo grau de maturidade de gestão dos seus líderes, onde seu foco é lançar produtos com o olhar de dentro para fora. Normalmente nessas empresas, o líder é muito técnico e preocupado em cumprir os requisitos legais, não prestando atenção nos concorrentes, foca em custo e preço baixo. As empresas que não usam design não se preocupam na agregação de valor ao seu cliente.

DESIGN COMO ESTILO

Aqui o líder tem mais conhecimento sobre gestão: olha para a concorrência, mercado, desenvolve seu produto ou serviço com todas estas informações em mente e, quando está quase na hora de lançar o produto no mercado, contrata um designer para deixar o produto mais “belo” e mais “chamativo”. O designer entra num momento que consegue participar somente da estética do produto, no seu estilo. Você já percebe melhora de performance em relação ao estágio anterior?

DESIGN COMO PROCESSO

A gestão das empresas que aplicam design como processo são mais maduras e profissionalizadas. A ótica do design entra em todo o P&D. Aqui o aumento de performance é significativo em relação ao estágio anterior e já começam a surgir alguns diferenciais competitivos sustentáveis. Nesse estágio de aplicação do design é o que se tem mais ganho na criatividade, geração de valor para o cliente e oportunidade para inventar e qualificar todo o portfólio de produto e serviços.

DESIGN COMO ESTRATÉGIA

Nesse estágio o design é o meio estratégico para a inovação. O design integrado à estratégia, posicionamento da empresa e produtos como um todo, coloca o usuário/ cliente no centro de todo P&D (human centered design), com o olhar no que é lucrativo, tecnicamente viável e supera expectativas do seu cliente. As empresas líderes em seus segmentos estão neste patamar.

Talvez você nunca tivesse pensado no design com essa ótica, fugindo da visão estética. A atividade do design, cada vez mais está atrelada a projeto, forma, função e resultado. Está atrelada a business de uma maneira integral. Quanto mais cedo sua empresa despertar as possibilidades que um olhar sistêmico e maduro sobre o design pode te proporcionar, mais cedo você sentirá os resultados na sua performance. Pois quando integro o olhar do design no cotidiano, melhores resultados gero para a empresa.

E quanto ao seu negócio? Como o design é utilizado hoje na sua empresa?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *